{ANALYTCS}

domingo, 25 de julho de 2010

Por que as pessoas brigam? Para que ter razão, se ela não traz felicidade?

Ninguém vive sozinho, ao menos por escolha própria.
Vêem-se diversas pessoas que moram sós, não casam e se dizem bem sozinhas. Mas isso é falácia.
Trata-se de mal amadas (isso aqui se escreve junto, com hífen ou está correto? Maldita reforma ortográfica. Ainda bem que me restam mais ou menos três anos...) que não têm a dignidade de admitir não ter encontrado ou conseguido manter consigo uma companhia.
Todos precisam de gente.
Gente é um mal necessário.
Amar é inerente à humanidade e não há quem não se envolva com outrem.
Mas, uma vez estabelecidos os relacionamentos, surge o problema das brigas.
Ah, as brigas...
E muitas vezes o fato que teria gerado a contenda nem mais existe, mas prefere-se continuar estragando a relação até que o outro lhe dê a malsinada razão.
Oportuno, então, tentar recordar o genial dizer do Ferreira Gullar.

 "Não tem sentido ficar brigando com as pessoas(...) Não quero ter razão, eu quero é ser feliz.(...) É quem nem com minha mulher. Brigo com ela, provo que estou com razão, ela sai irritada, fica três dias sem me ligar, fico aqui cheio de razão, triste pra caramba. Brigo com a pessoa que amo, que me dá alegria, pra ter razão? Eu quero é ser feliz!"

Ouça-se, portanto, quem descobriu o óbvio por meio de seu próprio sofrer: em matéria de relacionamento afetivo, os problemas têm que ser resolvidos para se evitar sua repetição, mas buscar culpados somente para se sentir safo da responsabilidade pela briga só vai desgastar a relação e torná-la tensa e desagradável.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escreva aqui seu comentário. Este é apenas um espaço para você participar de meu blog. Suas postagens são de sua inteira responsabilidade e não refletem a opinião do autor do blog.